Novidades

A Mitsubishi Corporation compra participação acionária na Península Fertilizantes

A Mitsubishi Corporation compra participação acionária na Península Fertilizantes Em 1 de Dezembro de 2014, o conglomerado japonês Mitsubishi Corporation (“Mitsubishi”) e a empresa de fertilizantes Peninsula International S.A.(“Companhia” ou “Peninsula”) celebraram um contrato de subscrição por meio do qual a Mitsubishi deterá 13,3% de novas ações de emissão da Companhia. A transação proporcionará à Peninsula recursos e fortalecerá sua estrutura de capital para dar continuidade ao seu plano de crescimento. Ainda é esperado que com a transação, Península e Mitsubishi, que já possuem uma relação comercial, estreitem ainda mais sua parceria. A Peninsula é uma empresa de capital nacional, que em 2014 completou 20 anos de atuação na formulação e distribuição de fertilizantes tendo operações principalmente nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná, além da região do MAPITO (Maranhão, Piauí e Tocantins) através de sua subsidiária Península Norte. A Companhia ainda atua no Paraguai, através de sua subsidiária Peninsulpar onde conta com uma operação de mistura, porto e distribuição de fertilizantes com logística integrada. Mitsubishi Corporation é um conglomerado global que desenvolve e opera negócios em praticamente todos os setores, incluindo finanças, industrial, energia, metais, máquinas, produtos químicos, elementos essenciais de vida e ao meio ambiente. Com mais de 200 escritórios e subsidiárias em cerca de 90 países em todo o mundo e uma rede de mais de 600 empresas do grupo, a Mitsubishi conta com aproximadamente 65.000 colaboradores. A transação é sujeita a aprovação pelo CADE.   Mitsubishi Corporation to acquire shareholding in Peninsula Fertilizantes On December 1st of 2014, the Japanese conglomerate Mitsubishi Corporation (“Mitsubishi”) and the fertilizer producer Peninsula International S.A. (“Company” or “Peninsula”) entered into a subscription agreement under which Mitsubishi will hold 13.3% of new shares of the Company. The new corporate structure and the capital increase will provide the Company the necessary resources to continue its growth plan. It is also expected that with this transaction, Peninsula and Mitsubishi, will further strengthen their long standing business relationship. Peninsula is a Brazilian company, having completed 20 years of experience in 2014, engaged in the blending and distribution of fertilizers, with operations primarily in the states of Mato Grosso, Mato Grosso do Sul and Paraná, in addition to the MAPITO region (states of Maranhão, Piauí and Tocantins) through its subsidiary Peninsula Norte. The Company also operates in Paraguay, through its subsidiary Peninsulpar, where it has a blending operation, port and distribution of fertilizers with integrated logistics. Mitsubishi Corporation is a global integrated business enterprise that develops and operates businesses across virtually every industry including industrial finance, energy, metals, machinery, chemicals, living essentials, and environmental business. With over 200 offices and subsidiaries in approximately 90 countries worldwide and a network of over 600 group companies, Mitsubishi employs a multinational workforce of over 65,000 people. The transaction is subject to CADE1’s approval. 1)            Brazilian Antitrust Regulator

Peninsula apoiando eventos das nossas crianças !!!! Que alegria

Olhe a alegria das crianças no evento !!!!! Vamos brincar e nos divertir !!!!! A Península olhando o futuro.  

Peninsula Fertilizantes terá unidade de mistura no Paraguai

  A paranaense Península Fertilizantes está prestes a dar mais um passo em seu movimento de expansão. Depois de estabelecer uma joint venture com uma empresa do Paraguai, passará a contar, no país vizinho, com uma nova unidade de mistura cujas obras estão em fase final. Com o empreendimento e avanço também no mercado brasileiro, a companhia, que fatura quase R$ 500 milhões por ano, espera expandir sua comercialização total de adubos de 600 mil toneladas (volume de 2013) para mais de 1 milhão. A nova unidade, localizada em Villeta, no Departamento Central do Paraguai, deverá ser inaugurada na segunda quinzena deste mês e terá capacidade para produzir 350 mil toneladas por ano, afirma Gilmar Michels, CEO da Península Fertilizantes. A fábrica será operada pela Peninsulpar, criada em parceria com a local Dekalpar e na qual cada uma das sócias tem participação de 50%. Os investimentos da Península na joint venture somam US$ 14 milhões - US$ 6 milhões dos acionistas e o restante financiado por bancos do Paraguai e internacionais. A unidade está localizada junto ao rio Paraguai e conta com um porto privado, diz Michels. Assim, as matérias-primas para a fabricação dos adubos, importadas, deverão ser transportadas por via fluvial, por barcaças, desde a Argentina até Villeta. Na logística reversa, para reduzir os custos, as mesmas barcaças vão escoar a produção de soja do Paraguai até Argentina e Uruguai. A previsão é que a fábrica paraguaia produza 150 mil toneladas de adubos em 2015 e 200 mil em 2016. Conforme o CEO da Península, será a segunda unidade de mistura de fertilizantes do país vizinho. A única a funcionar atualmente no país,  também em Villeta, é da Mosaic. A multinacional a adquiriu de sua compatriota ADM e sua incorporação deverá ser concluída ainda neste ano. A nova unidade será a sexta da Península, e a segunda que será administrada por meio de uma joint venture. A companhia tem 100% de duas plantas em Paranaguá (PR), uma em Rio Brilhante (MS) e uma em Rondonópolis (MT) - que entrou em operação no ano passado, com capacidade de produção de 600 mil toneladas. Além delas, conta com uma fábrica em São Luís (MA), junto ao porto de Itaqui, gerida pela Península Norte, companhia estabelecida em 2012 em parceria com a Ceagro, depois adquirida pela Agrex (empresa do grupo Mitsubishi). A unidade maranhense tem capacidade para produzir anualmente cerca de 350 mil toneladas de adubos. A parceria com a antiga Ceagro foi o caminho encontrado pela Península para chegar à região do "Mapitoba" (confluência entre os Estados de Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia). Antes, a atuação da empresa se limitava a Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraná. "Trouxemos esse parceiro estratégico com venda e produção garantidas", disse Michels. Segundo ele, a estratégia de realizar investimentos "mais econômicos" e atrair parceiros criam valor para a companhia. A Península investiu cerca de US$ 30 milhões em expansão nos últimos três anos. Sua capacidade de produção saiu de 400 mil toneladas, em 2010, e chegará, com as joint ventures, a 1,7 milhão. O Valor antecipou, no mês passado, que a japonesa Mitsubishi, que no Brasil controla a produtora agrícola Agrex, está em vias de concluir a aquisição, por US$ 15 milhões, de 10% da Península, mas as empresas não comentam o assunto. Conforme  fontes envolvidas na operação, a intenção da Mitsubishi é, no futuro, adquirir o controle da empresa paranaense. De acordo com essas mesmas fontes, é uma oportunidade que a multinacional japonesa tem para ampliar sua atuação no mercado latino-americano  de fertilizantes, no qual ainda tem presença tímida. Fundada em 1994, a Península surgiu como uma "startup" prestadora de serviços às cooperativas paranaenses. Em 2012, lembra Michels, os sócios fundadores da companhia familiar profissionalizaram a gestão, deixaram o comando executivo e foram para o conselho de administração. No ano passado, a Península Fertilizantes movimentou 420 mil toneladas de adubos. A previsão para este ano é alcançar 850 mil toneladas, já somadas 250 mil toneladas da Península Norte - que, no ano passado, comercializou 180 mil. Com a expansão para o Paraguai, portanto, a comercialização deverá chegar a 1 milhão de toneladas em 2.015 estima Michels. Por Carine Ferreira

  • Chinese (Traditional)EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish