Técnico

COLETA DE AMOSTRAS

A amostragem é o procedimento mais importante que dá início a avaliação de um produto, se ela não for realizada de acordo com as técnicas necessárias, todo o subseqüente será comprometido.

 

O tipo de produto a ser amostrado define o grau de dificuldade da amostragem a ser realizada, principalmente se a coleta for efetuada em uma mistura de grânulos, pois o mesmo é constituído de uma mistura de vários componentes, de características diferentes, exigindo cuidados para que a porção coletada seja representativa de todo lote a ser avaliado.

 

Os procedimentos para coleta e preparo de amostras de fertilizantes estão fundamentados conforme IN nº_10, vinculada do Decreto nº 4.954 de 10/01/2004, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

 

COLETA DE PRODUTOS ENSACADOS

Amostragem

Uma vez definido o lote a ser amostrado, devemos a seguir verificar a quantidade de sacos a serem amostrados.

 

Tabela para coleta de amostras

Quantidade de sacos Número mínimo de sacos a amostrar
Até 10 Todas
11 a 50 10
51 a 100 20
Superior a 100 até 200 20 mais 2% da totalidade

 

Procedimento para coleta

Para a coleta de produtos ensacados deverá ser utilizada uma sonda (de PVC ou Aço Inox), de tubo duplo perfurado com ponta cônica, observando-se as dimensões, conforme figura abaixo:

 

 

Procedimento da amostragem

O produto a ser amostrado deverá ser coletado de sacos escolhidos ao acaso, em diferentes níveis e posições para que a amostra seja representativa do lote, os quais serão tombados pelo menos 4 vezes antes da retirada da porção, permitindo assim a homogeneização do produto. Posicionar o saco em superfície horizontal, inserindo totalmente a sonda fechada no sentido diagonal e de cima para baixo. Abrir a sonda e movimenta-la para que o material caia pelos furos, enchendo-a.

 

Fechar e retirar a sonda recolhendo o seu conteúdo em recipiente limpo, que depois será homogeneizado e separado.

 

 

 

 

AMOSTRAGEM  EM “BIG-BAG”

Ainda que não se tenha uma metodologia específica para amostragem em “big-bag”, é conveniente adotarmos um procedimento baseado na IN nº 10, art. 27, para coleta de produtos acondicionados em embalagens maiores de 60 (sessenta) quilogramas, como segue:

 

    • Inserir a sonda verticalmente em três pontos diferentes em cada embalagem;
    • Abrir a sonda e movimentá-la para que o material caia pelos furos, enchendo-a;
    • Tomar cuidado de fechar a sonda antes de retirá-la da embalagem, recolhendo o seu conteúdo em recipiente limpo.

 

Quando o lote ou partida de produto for superior a 200 (duzentas) unidades, este deverá ser subdividido em lotes ou partidas de 200 (duzentas) embalagens ou fração.

 

O número de embalagens a serem amostradas deverá ser:

 

Tamanho do lote ou partida
( nº de embalagens)
Número mínimo de embalagens
a serem amostrados
Até 50 5
51 a 100 10
101 a 150 15
151 a 200 20

QUARTEAÇÃO

Tão importante quanto à amostragem é a separação da amostra, também chamada de quarteação que deve ser realizada obedecendo a uma metodologia definida que pode ser manual ou por quarteador de Jones, como segue.

 

Quarteação Manual

Após a coleta da amostra devemos depositar o produto em uma superfície lisa e limpa. A seguir com o auxílio de uma régua, dividimos o produto previamente homogeneizado em quatro partes iguais, segundo ângulos retos. Escolhem-se duas partes de dois ângulos opostos e desprezam-se as outras duas. Juntam-se as duas partes escolhidas, homogeneizando-as convenientemente, repetindo-se a operação o número de vezes necessárias para se obter quantidade de produto suficiente para compor quatro amostras de aproximadamente 250 g.

 

Quarteador de Jones

Deverá ser usado um quarteador tipo “Jones” (figura abaixo) possuindo no mínimo, oito vãos de separação, com largura mínima de 15 mm cada, da seguinte forma: Distribuir o produto em uma das bandejas coletoras do equipamento, de modo que fique nivelado, sendo em seguida despejado. O conteúdo será recebido por duas bandejas coletoras, desprezam o conteúdo de uma delas. Repetir a operação até reduzi-lo a uma quantidade suficiente para compor quatro amostras de aproximadamente 250 g.

 

 

Acondicionamento de Amostras

Após ser quarteada a amostra deverá ser acondicionada em sacos plásticos limpos e em seguida lacrada.

 

COLETA DE PRODUTO A GRANEL

Para fazer a amostragem, deve-se introduzir a sonda fechada sempre que possível verticalmente, até sua altura total.

 

Abrir a sonda e movimenta-la para que o material caia através dos furos. Em seguida fecha-la e retira-la recolhendo o seu conteúdo em um recipiente limpo onde será feita a média com todas as porções amostradas que será posteriormente quarteada, conforme procedimento.

 

A retirada da porção de amostra será em lotes de 100 toneladas, no mínimo em 10 (dez) pontos diferentes escolhidos ao acaso, de maneira que seja representativa. Em lotes superiores a 100 toneladas, deverão ser retiradas 10 (dez) porções mais 3 (três) para cada 100.

 

 

ARMAZENAMENTO

A qualidade do produto sofre influência direta nas condições de armazenagem, seja nas suas propriedades químicas ou físicas. Alguns cuidados devem ser tomados para que se mantenha inalterada as características do produto até a época do consumo.

 

 

Armazéns ou galpões fechados:

    • Armazenar sobre estrados de madeiras ou palets. Caso não seja possível é aconselhável forrar o chão com lona plástica ou sacos plásticos usados, evitando assim o contato direto do produto com o piso.
    • Sob pena de compactação nos sacos inferiores, a altura da pilha não deve ultrapassar a 20 sacos.
    • Deixar espaços de aproximadamente 50 cm entre as pilhas e as paredes, permitindo dessa forma a ventilação do produto.

 

Galpões abertos lateralmente:

    • Além dos procedimentos acima descritos, também é necessárias a proteção das laterais das pilhas com lona, para evitar o umedecimento do produto.